quarta-feira, 27 de maio de 2009

O dia, a insônia e a maçã.

Amanheceu mais um dia. Ah, a insônia me corrói. Foi à cozinha, abriu a geladeira. Com uma mão ainda na porta e a outra na cintura, observou o que tinha lá dentro por minutos, como se não estivesse realmente enxergando, só vendo. Ah! Será que eu já comi aquela maçã? Agachou e abriu a gaveta de verduras. Lá estava ela com cara de fruta triste. Cara de que não agüentava mais estar lá. E nada podia fazer, afinal, era uma fruta. Olhou pra tangerina tão linda, sorrindo pra ela, com sua casca alaranjada quase fluorescente. Hm, tangerina com cor de laranja. Pegou. A velha maçã suspirou.

Foi pro quarto, acendeu a luz, ligou o ventilador. A noite tinha sido abafada. Estava quente apesar de ser inverno. Não havia vento lá fora, todas as janelas estavam abertas, podia sentir. Ou não sentir. Durante a tarde, o tempo permaneceu cinza. Ainda era muito cedo pra saber se seria um dia feio de sol ou um dia lindo de chuva. Jogou os restos da tangerina no lixo, sentou na cama, acendeu um cigarro. Ah, companheiro. Aproveitou o momento da primeira tragada olhando pro maço azul. Alcançou o celular e olhou a hora. Cedo.

Buscou o caderno, segurou a caneta e escreveu:

Amanheceu mais um dia.

Largou a caneta. Não adianta, não vai dar. Segurou a caneta e escreveu:

A insônia me corrói.

Largou a caneta. Foi à cozinha, abriu a geladeira. Agachou, abriu a gaveta de verduras. A velha maçã sorriu. Pegou o limão, o gelo. No armário do lado esquerdo da pia, a vodca. Em um copo baixo, espremeu o limão. Adorava o barulho que fazia o choque entre a vodca e o gelo. Bebeu dois grandes goles. Tonteou. Respirou. Três grandes goles. Respirou. Pôs mais gelo, encheu o copo até a boca, foi pro quarto. Acendeu um cigarro, segurou a caneta.

Levantou, ligou o aparelho de som com o cd que tinha dentro. Que bom, era isso que eu queria ouvir. Escreveu: O álcool me corrói. Não. Riscou. Escreveu: Amanheceu mais uma insônia. Riu. Não! Riscou, largou a caneta.

Deitou e ficou olhando pro teto girando, ventilador girando. Cabeça girando. Quase caiu da cama ao levantar bruscamente. Segurou o caderno, pegou a caneta e escreveu:

Amanheceu mais um dia e a insônia ainda me corrói. Eu bebo pra fingir não lembrar que nós não vamos mais ser. Agora entendi: acabou.

12 comentários:

Labes disse...

Muitas coisas boas neste. Umas imagens que ficam.

Fábio Ricardo disse...

Gostei do estilo "escrever sobre o que está sendo escrito". Tenho minhas ressalvas quanto ao comentário ao ouvir o som, soou artificial (mesmo sabendo que era little joy lah dentro) e sobre o efeito quase que imediato da bebida (mesmo sabendo que não precisas dela para tontear ao se levantar bruscamente e quase cair).

*Lou disse...

yes, ao mesmo tempo que pode ser o álcool falando ao se levantar bruscamente, pode não ser. mas também acredito que 5 graandes goles de vodca pura, num corpo que se alimentou só de uma tangerina, pode ter um efeito bastante imediato. e sobre little joy: não não, não tire conclusões precipitadas! haha. nem tudo é sobre mim. =P pode ter soado artificial porque estava fazendo tudo rapidamente. mas claro, cada um com seu modo de ler.

enfim. só pra esclarecer. gostei dos comentários.

um beijo.

Tati Plens disse...

como é que um texto tão descritivo pode soar bonito... e olha que não gosto de nada lógico e direto.

acho que é simples, que a gente lê como respiro.

BUTTERFLIES disse...

Oi Louise.. rs.. É a Marina lembras?? Adorei seu blog.. dê uma passadinha no meu também!! Você escreve super bem!!
Bj

Benjamin Valêncio disse...

Comigo o efeito é imediato, ainda mais tendo só uma tangerina pra segurar o impacto! rsrs. Bons textos! Abraço!

FanFoto disse...

Mande as fotos que você tem de listras para nós! Além de sair no blog, se sua foto for selecionada sairá na fanzine impressa! fanzine.fanfoto@hotmail.com

Vinicius disse...

me senti menos sozinho por me reconhecer na parte final "Eu bebo pra fingir não lembrar que nós não vamos mais ser."

(tadinha da maça)

Cláudia I, Vetter disse...

construção imponente, numa verdade despretenciosa. e cruel.

gostei, menina!

;***

Iaiá disse...

adorei a nova decoração do teu blogfofo!

Coisas de Iaiá disse...

me segue...

Gabriel disse...

Adorei, muito bom!
recortes roubados para momentos em comum.

alguma semelhança com um ceto gato um certo gelo e uma certa maçã :)